1 de jun de 2007

O que é Tight Lacing

Tightlacing ou "laço apertado" em uma tradução literal é o nome dado à prática de usar um corset por longos períodos, no intuito de alterar a silhueta reduzindo a cintura. O Corset utilizado para este fim é uma evolução dos espartilhos que nossas bisavós e tataravós usaram, nada a ver com o que hoje chamamos de espartilho a venda em lojas de lingeries e sex-shops.

Os Corsets são construídos com tecidos resistentes, em várias camadas e com reforços em áreas estratégicas, amarrados nas costas e com barbatanas rígidas, normalmente de aço ou alumínio.

É fato conhecido desde a idade média que a pressão constante aplicada pelo Corset, sobre a cintura e costelas inferiores por 16 a 24 horas por o dia, acaba por curvar gradualmente as costelas flutuantes, fazendo que com o tempo a alteração acabe sendo definitiva. Porém, além do Tightlacing exigir disciplina e força de vontade, deve ser praticado com critério, pois assim como a redução da cintura é um fato historicamente comprovado, também é indiscutível que o uso de forma exagerada ou com pouco critério pode ocasionar vários problemas de saúde. Recomendo que as dúvidas sobre os problemas advindos de um uso incorreto ou exagerado sejam verificadas neste site.

Para a efetiva redução da cintura com modificação da localização de órgãos internos e reacomodação das costelas, o Corset deve ser bem reforçado, ter preferencialmente barbatanas de aço e ilhoses bem próximos.

Alguns cuidados devem ser tomados na escolha: obviamente o corset para Tight lacing deve ser feito sob medida; não deve ser muito alto na parte superior para não se tornar incomodo ao sentar; na parte inferior não deve ser muito curto, pois se corre o risco da gordura abdominal depositar-se na parte deixada livre da pressão criando uma indesejável barriguinha; deve-se evitar materiais impermeáveis ou que dificultem a respiração da pele; por fim deve ter um diâmetro de 10 cm inferior a sua cintura, quando fechado.

O modelo mais indicado para um uso contínuo é o Underbust em estilo Vitoriano, por ser mais confortável e permitir uma melhor movimentação.

Você deve estar se perguntando sobre os efeitos práticos do Tightlacing. Existem na internet alguns sites com previsões sobre diminuição - claro que se deve ter cuidado com estes dados, pois se tratando do corpo humano, qualquer previsão é um exercício de adivinhação. Apenas para ilustrar transcrevo uma destas previsões:

"Um Corset pode reduzir a cintura aproximadamente 2% a cada semana, até que você alcance uma redução de 75% da cintura original após, mais ou menos, 3 meses de uso".

Quanto a números, posso dar o meu depoimento: tomei o cuidado de anotar minhas medidas, para controlar a progressão. As medidas foram tiradas sem o corset, a inicial antes de colocar e a final logo após retirá-lo e os intervalos entre cada período de uso variaram de 4 a 10 horas. Um treinamento mais efetivo de Tightlacing deve ser realizado com uso ininterrupto e deve-se evitar ficar sem ele por mais de uma hora, porém nem sempre isso nos é possível. Assim transcrevo a seguir a progressão de minhas medidas nos dez primeiros períodos de uso, para que se tenha uma idéia sobre uma evolução real.

1º Inicial - 84 cm Final - 80 cm 08:00
2º Inicial - 83 cm Final - 79 cm 09:00
3º Inicial - 82 cm Final - 78 cm 17:00
4º Inicial - 80 cm Final - 78 cm 10:00
5º Inicial - 81 cm Final - 77 cm 17:00
6º Inicial - 80 cm Final - 77 cm 20:00
7º Inicial - 79 cm Final - 76 cm 23:00
8º Inicial - 79 cm Final - 77 cm 20:00
9º Inicial - 78 cm Final - 76 cm 22:00
10º Inicial - 78 cm Final - 76 cm 20:00

Como você pode observar pelo 7º período de uso, o corset pode, e deve, ser usado durando a noite, mas para dormir com um corset deve-se tomar um cuidado adicional, afrouxá-lo durante a noite de forma que ele fique bem confortável, tornando a apertá-lo na manhã seguinte. Nos primeiros dias do meu treinamento o usei apenas durante a noite e pelo tempo de uso pode-se observar que passei a me sentir confortável após o segundo dia, podendo aumentar consideravelmente o período de uso.

O primeiro objetivo do Tightlacer é "fechar" o seu corset, ou seja, partindo de uma peça com um diâmetro 10cm menor que sua cintura, atinge-se o primeiro estágio quando se consegue fechar completamente o corset. Deve-se então utilizá-lo durante mais um período até que surja uma sensação de conforto com o uso, parecendo frouxo, mesmo amarrado ao máximo.

Quando isso acontecer está na hora de trocar seu corset por um modelo menor. O novo corset deve ter novamente 10cm a menos que sua cintura, e você pode usar o corset antigo para dormir, poupando a nova peça. Repetindo este processo algumas vezes, você encontrará a cintura dos seus sonhos. Porém, deve-se tomar o cuidado de não exagerar, pois alguns Tightlacers tendem a criar uma cintura exagerada, que além de não ser saudável os torna permanentemente dependentes do uso do corset.

Existem pessoas que não podem praticar este treinamento, como diabéticos, pessoas com insuficiência respiratória, pessoas que têm problemas de coluna, etc... Porém, se você tem bom senso para fazer um treinamento progressivo e cauteloso: nenhum outro método é tão efetivo para redução da cintura quanto o Tightlacing.

autora: Vanessa Ramos
fonte: Madame Sher



RESUMINDO 1

TIGHT LACING (TL), nome dado à prática de usar um corset (feito sob medida) por longos períodos, no intuito de alterar a silhueta, curvando suas costelas flutuantes permanentemente e consequentemente reduzindo a cintura.

RESUMINDO 2

TIGHT LACING (TL) é modificação corporal ÓSSEA, NÃO É PRA QUEM QUER APENAS ELIMINAR GORDURA DO CORPO, PRA ISSO FAÇA EXERCICIOS E CUIDE DA SUA ALIMENTAÇÃO. Se a partir do momento você já sabe que não quer nada radical e agressivo ao seu corpo, a resposta já esta aí: o TL NÃO É O QUE VOCÊ QUER PARA VOCÊ, SIMPLES ASSIM ¯\_(ツ)_/¯



[ update 2016 ] Como o texto acima escrito pela Vanessa Ramos para o site da grife Madame Sher é SUPER antigo, e o pessoal costuma cair nele atualmente achei que vale fazer umas observações após tanto tempo de publicação (2007)
  • A modificação dos órgãos internos acontece quando a pessoa faz um TL exagerado, leia mais aqui;
  • Pela tabelinha percebe-se que ela não fez o SEASONING, leia mais aqui;
  • Começou já com uma quantidade exagerada de horas nem seguiu um treino com uma quantidade que é considerada, digamos, saudável : 8hs;
  • Não há esta obrigação de "DEVE-SE DORMIR DE CORSET", tem gente realmente que não consegue dormir (nem conseguiu, como eu) mesmo seguindo as dicas de afrouxar o corset, leia mais aqui
  • Nesta história de "o primeiro objetivo do TL é fechar o corset" infelizmente com uma pitada de má interpretação, tem um pessoal já acha que é meta do TL é fechar um corset, e NÃO É, leia mais aqui
Mas no geral o texto continua sendo um ótimo texto para te dar uma noção do que se trata a prática. Para você que não acredita muito na possibilidade de deformar as costelas, fica a dica:


Não se esqueça, na lateral do blog você encontra diversos links para os tópicos mais importantes, caso esteja no celular - basta clicar aqui Todos os links estão na medida do possível organizados por nível de importância, desde coisas para saber antes de compra um corset (médicos, exames, exercícios, modelos, grifes, etc...) como depois de comprar um corset (como fechar, como lavar,  etc), tem tudo que você precisa de informação para iniciar a prática.

Imagem tosca que fiz mas só pra entenderem a "lógica" do Tight Lacing // corset: Invisible Shield Ferrer Corsets


UPDATE


30/10/15 - Encontrei uma explicação bacana da Sher num grupo achei válido colocar aqui:

... o tight-lacing trabalha de 3 formas:

1º Na camada de tecido adiposo. A gordura tem pouca irrigação sanguínea e células frágeis que podem chegar a morrer e ser reabsorvidas pelo corpo dependendo da pressão exercida sobre elas. Essa pressão precisa ser considerável para surtir efeito a médio prazo, mas a LONGO prazo até elásticos de calcinha podem marcar o corpo de forma praticamente definitiva.

A médio prazo como num treino de tight-lacing que dura em torno de 2 ou 3 anos para a maioria, o único efeito considerável no tecido adiposo que temos é nas áreas de pressão extrema, como na cintura e em alguns modelos em menor escala nos flancos. Isso é facilmente observável pelo fato de que o desenho sutil de busks e barbatanas não se transferem definitivamente para o corpo, sumindo após poucas horas de remoção do corset.

2º Nas costelas flutuantes e cartilagem das costelas falsas. O primeiro caso se dá através do curvamento (sem prejuízo para o corpo) dos dois últimos pares. Também é possível reduzir o tórax através da deformação da cartilagem que liga as costelas ao osso esterno, sendo essa segunda modificação desaconselhável por reduzir expansão torácica e consequentemente capacidade respiratória, fora outros males que um médio pode descrever em maiores detalhes.

3º Na camada muscular impedindo hipertrofia exagerada dos músculos oblíquos. Nesse caso o efeito é melhor observado em mulheres de perfil esportivo.

Tight Lacing não é sobre TAMANHO e sim sobre FORMA

Não se apegue muito as MEDIDAS, acompanhe sua evolução por fotos, veja as proporções do seu corpo, a FORMA que sua silhueta é moldada durante seu treino. Leia mais aqui.

AH! E não se iluda, NÃO SE FAZ TIGHT LACING COM CINTA COMUM, leia mais aqui.

.....

29/02/16 - Trecho do texto "UMA BREVE HISTÓRIA DOS CORSETS, SEUS MITOS E CONTROVÉRSIAS" escrito por Sana, designer de moda e autora do blog Historia da Moda:

Há muitos mitos sobre a cintura finíssima dos vitorianos. Muito dos relatos sobre estas cinturas eram marketing de venda de uma beleza idealizada e ficções fetichistas.

Ao contrário do que se pensa, apesar de todo o puritanismo, os vitorianos não eram anti-sexuais. Os corsets eram vistos como belos e erotizantes, MAS davam respeitabilidade às mulheres, uma mulher sem corset não era vista respeitosamente.

Praticantes de tight lacing na era vitoriana eram extremamente raros. Os periódicos para mulheres do final da década de 1860 e 1870 e depois, no final dos anos 1880, traziam artigos fantasiosos de bondage e sadomasoquismo. Havia um fetichismo masculino sobre corsets e tight lacing de garotas e garotos enlaçados ou em crossdressing.

Esse tipo de informação deve ser visto como fantasias sexuais masculinas e não como comportamento habitual das mulheres vitorianas. Fetichismo sempre foi hábito de uma minoria populacional (até hoje) e predominantemente por homens (mulheres fetichistas são raras*) obcecados por tight lacing que fantasiavam ser enlaçados por prostitutas em bordéis. Esse fascínio underground pelo tigh lacing continua até hoje.

Uma boa comparação, pra melhor entendimento do fato é comparar corsets com saltos altos e tight lacing com saltos altíssimos: hoje, muitas mulheres usam saltos altos em seu dia a dia, mas sapatos de saltos altíssimos são menos/raramente usados. Se a mulher for numa festa, óbviamente ela colocará um salto mais alto que o habitual. O mesmo podia acontecer na Era Vitoriana, ao ir numa festa, a mulher apertar um pouco mais o laço, o que não fazia dela uma praticante do tight lacing.

Então, imaginar que todas as mulheres vitorianas praticavam tight lacing e tinham cinturas minúsculas é como dizer que nós, atualmente, usamos salto de dominatrix no cotidiano. É preciso ter cuidado pra não confundir fantasia fetichista com comportamento habitual das mulheres do século XIX.