21 de fev de 2010

Espartilho volta a afinar as cinturas femininas

Laçarotes, cintura marcada, saias amplas, ares de pin-up. Parece que tudo que remete a um universo bem feminino está em alta na moda. Não à toa, o corset, espartilho em francês, provavelmente a peça mais feminina já inventada, está voltando às ruas.

O corset (pronuncia-se corsê) já entrou e saiu do guarda-roupa feminino inúmeras vezes na história da moda. Criado para ambos os sexos na Grécia antiga, o espartilho tinha a finalidade de aproximar todos dos mitos de beleza da época, apolíneos rapazes e moças atletas. A partir do Renascimento, o espartilho se torna moda entre as classes abastadas e até os cavalheiros tiveram que se submeter à tirania do mecanismo em prol de uma silhueta majestosa. No início do século passado, Coco Chanel ajudou as mulheres a se livrar do aperto das peças. Viria então uma época de formas mais naturais e de silhueta mais reta, e o espartilho ficou restrito ao universo do fetiche e da fantasia, como uma lingerie especial.

Na década de 1950, Dior apostou na cintura marcada. Depois, nas décadas de 1970 e 1980, a peça voltou pelas mãos de Vivienne Westwood e Jean-paul Gaultier que, aliás, assina o espartilho que Madonna usou na turnê Blond Ambition, em 1990.

- Foi a estética de mulheres voluptuosas como Gisele Bündchen ou Jennifer Lopez que inspiraram a retomada desta peça torturante, mas com um apelo indiscutivelmente sexy - diz o consultor de estilo Xico Gonçalves.

Conforme ele, a partir do próximo inverno, os espartilhos voltam com força para compor a silhueta "embalada a vácuo", uma tendência justa ao corpo superatual. Mas a volta nada tem a ver com sacrifícios. Os novos espartilhos, em materiais flexíveis, servem também como inspiração para cintos, cinturitas e cinturões de couro ou tecido envolvendo a cintura.

- Parece até loucura uma peça que foi rejeitada pelo desconforto voltar à cena, mas os sapatos de salto são igualmente torturantes e nunca saem da moda - diz Xico Gonçalves.

Mas será que a peça é democrática?

- É para quem gosta de uma imagem sexy e tem um corpo adequado para este tipo de vestuário - diz Xico.

Para equilibrar o visual, é importante compor com peças de inspiração diferente:

- Misture com jeans, saias retas e roupas andróginas. Para a noite, saias de tecidos fininhos ou calças amplas.

Fetiche fashion

A principal referência no Brasil quando o assunto é corset é Leandra Rios. São da grife dela, a Madame Sher, os corsets que Fernanda Young usou no ensaio para a Playboy, assim como as peças que Juliana Paes e Cléo Pires vestiram na propaganda da coleção de verão da Arezzo. Outras clientes famosas de Sher são Adriana Galisteu e Luciana Gimenez.

autora: Laura Coutinho
fonte: http://www.clicrbs.com.br

.................................................................................................................................................

agradecimentos: ao @marceloclover (Marcelo Lima), corsetier da Ferrer Corsets que indicou a matéria lá no twitter.




1 comentários:

sweetie Bird {RML} disse...

so para comentar que a foto que ilustra é uma usada na capa da Maxim (nao me recordo o mês). As revistas masculinas parecem aprovar a tendência.

Postar um comentário