7 de mar de 2008

Mulheres em curvas perigosas

Matéria Revista Nova - Março 2008




OBSERVAÇÕES:
Entre infinitas besteiras escritas como "top cheio de amarrações" (comparar um corset uma peça de 36 paines montados com um simples top é o cumulo do absurdo), gostaria de deixar bem claro algumas coisas que foram absolutamente mal escritas, até deturpadas em relação ao meu depoimento, vou postar os trechos que a jornalista JulianGuarany escreveu dizendo que fui eu que falei e logo em seguida colocarei o que foi realmente dito a ela:

"No começo doi bastante." admite a publicitária Iris Freitas Duarte
Ano passado ela me ligou e os 10 minutos ou menos ficamos no telefone depois da seguinte pergunta: DOI PRATICAR O TL? foi respondido que só doi quando a pessoa exagera e que tudo feito ao extremo causa danos a pessoa, esta afirmação realmente nunca saiu da minha boca!

"Mas depois acostuma facil"
Cheguei a pensar que a moça quando estava me entrevistando apenas anotava as frases chaves para em cima escrever algo e pelo visto foi isso que aconteceu, a frase que falei foi justamente depois de falar sobre o exagero aperto do corset que o certo era fazer aos poucos e fazendo assim seu corpo acostuma facil com o aperto, alias é uma frase que esta aos montes escrita em varios trechos deste blog.

"Cheguei a ficar 10 horas seguidas com ele. Nos primeiro meses perdi 5 cm de 86 f para81." conta Iris
Mais uma deturpação do que disse, como esta escrito neste blog e como conto em TODAS comunidades que faço parte no orkut e inclusive isso foi tb dito para a jornalista, minhas medidas de 86 para 81 foi adquirido depois de 1 ano usando o corset e não nos 5 primeiros meses como a jornalista escreveu em sua materia.

Tenho certeza que a mesma deturpação das palavras ( as frases foram usadas em outro contexto) também ocorreu em relação ao depoimento das outras entrevistadas.

No dia que fui entrevistada cheguei depois a comentar para algumas pessoas que realmente achei estranho a entrevista em menos de 10 minutos senti um pouco de descaso da parte da jornalista em se aprofundar no assunto e querer saber mais, as perguntas ficavam sempre no: doi? nao doi? quanto tempo? tanto foi que falei a propria jornalista NOSSA ACABOU A ENTREVISTA, SÓ ISSO NAO TEM NENHUMA PERGUNTA NOVA e ela NOSSA EU NAO FUI CRIATIVA EM MINHAS PERGUNTAS e logicamente respondi NAO.

Depois de ver como a matéria ficou minhas impressões não foram falsas, espero que da próxima a Nova acerte na freelancer.

>> Veja o topico sobre esta matéria na comunidade CORSET E ALGO MAIS, no orkut




3 comentários:

Marilia disse...

Bom, dá pra ver que a Revista queria fazer uma matéria apelativa e distorceu tuas respostas. Tá na cara que a entrevistadora é mal-informada e não teve muito interesse e se aprofundar no assunto.

Pena.

Chris disse...

Eu ia colocar um post a respeito dessa matéria, mas achei que ela estava muito curta para tratar de um assunto tão complexo. E visivelmente a jornalista já tinah uma idéia a defender e usou as entrevistas para provar sua tese pré-estabelecida. Como eu não conheço a técnica profundamente resolvi não arriscar. Agora vejo que estava certa em evitar me basear naquela matéria exclusivamente. Parabéns pelo blog.

Hybriis disse...

Oi Iris!

olha, eu já dei entrevista e vi o mesmo acontecer... eles realmente NAO prestam atenção em NADA do que a gente diz, simplesmente anotam frases-chave e montam o texto como bem querem. Uma pessoa que se paute apenas por informações desta revista está perdida mesmo!
abraços

Hybriis

Postar um comentário